Vídeo: ativista gay dono de cafeteria expulsa clientes cristãos de seu estabelecimento

A intolerância ao contraditório vem se tornando uma situação cada vez mais constante, e os ativistas gays que no começo de sua militância pregavam a aceitação de seu modo de vida na sociedade, agora agem na imposição de sua agenda “progressista” e repressora aos valores cristãos.

O caso mais recente de intolerância da parte da militância LGBT foi registrado no último domingo, 08 de outubro, em uma cafeteria na cidade de Seattle, em Washington (EUA), quando um grupo de clientes cristãos foi expulso pelo proprietário porque antes de entrar no estabelecimento, estavam fazendo uma campanha contra o aborto nas ruas.

De acordo com informações do site The Liberator, os clientes eram ligados ao grupo “Abolish Human Abortion” (“abolição do aborto humano”, em tradução livre) e foram à cidade para compartilhar sua mensagem através de panfletos, além de evangelizar quem parava para dar-lhes atenção.

A certa altura, pararam para tomar um café e descansar, e escolheram a Bedlam Coffee. “Não distribuímos nada lá dentro. Nós compramos café e subimos as escadas”, disse Caytie Davis, uma das cristãs que estavam no grupo.

Poucos minutos depois, o proprietário os expulsou: “Vocês tem que sair”, disse, segurando um cartaz com a mensagem contra o aborto. Ele dizia que considerava aquela mensagem “ofensiva”, pois mostrava um feto abortado acompanhado de ilustrações com as cores do arco-íris, símbolo adotado pela militância LGBT.

“Nenhum de nós deixamos o panfleto na loja. Nós explicamos que estávamos distribuindo para as pessoas na cidade e perguntamos onde ele tinha encontrado. Ele nos disse ele achou na rua”, contou Caytie Davis.

Em um vídeo divulgado no Facebook é possível ver que o proprietário da cafeteria foi irredutível na exigência de que deixassem o local: “Então você não está disposto a tolerar a nossa presença?”, questionou o cristão Jonathan Sutherland. A resposta foi clara: “Se eu buscar o meu namorado e transar com ele aqui você vai tolerar?”, retrucou o ativista gay.

Para evitar maior confusão, o grupo disse que estava saindo e, enquanto se levantavam, a jovem Caytie deixou um recado: “Cristo pode te salvar desse estilo de vida”, disse ela.

A irritação do ativista gay era tanta que ele subiu o tom de voz em alguns momentos, incluindo quando ouviu a mensagem de redenção. “Eu não vou ser salvo por nada. Eu vou f*#@r Cristo. Ok? Ele é um gostoso”, disse, em tom de galhofa.

Em entrevista concedida após a repercussão do vídeo, os evangelistas disseram que a atitude do ativista gay foi hipócrita, já que se opõe ao discurso de tolerância proferido pela militância LGBT. Caytie Davis ressaltou, no entanto, que não quer ver retaliações ao empresário que os expulsou da cafeteria: “Pelo contrário. Meu desejo é que eles continuem refletindo sobre panfleto e que isso possa convencê-los a ponto de gerar arrependimento”, finalizou.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta