Vem aí greve dos caminhoneiros após novo aumento de 14% no diesel

Brasil Econômia

É dada como certa uma nova greve dos caminhoneiros após aumento de 14% no preço do diesel, informam os líderes do movimento que paralisou o país em maio.

+ Greve dos caminhoneiros chega ao 9º dia

“Se fosse pela empolgação, hoje íamos amanhecer parados em vários pontos”, afirma Edimilson Carneiro, o Dodô, que administra a página UDC (União dos Caminhoneiros do Brasil).

Por meio de nota, a UDC promete parar o país depois do feriadão de 7 de setembro (Dia da Independência). A nova paralisação seria por tempo indeterminado, a exemplo do movimento ocorrido em maio passado.

Desde a última sexta-feira (31), o preço médio do diesel nas refinarias da Petrobras subiu em 14%. Com o aumento, o preço passou de R$ 2,0316 para R$ 2,2964. É o primeiro reajuste desde junho, quando, em acordo com os caminhoneiros em greve, o governo congelou o preço do produto nas refinarias em R$ 2,0316 por litro.

A senadora Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT, publicou uma mensagem em apoio ao iminente movimento dos caminhoneiros.

“Vivemos tempos difíceis! O aumento de 13% do diesel, o corte de 50% do Bolsa Família p/ 2019, a decisão do Judiciário de aumentar seus salários e do STF de aprovar a terceirização é um tapa na cara do povo. A greve anunciada dos caminhoneiros, é uma reação mais do que justificada”, escreveu no Twitter.

Deixe uma resposta