Pouco caso do senado para aprovação de redução em impostos dará continuidade a paralisação dos caminhoneiros

Brasil

Fonseca, da ABCAM, diz que decidiu manter o movimento grevista porque o senador Eunicio Oliveira, presidente do Senado, não quis votar nesta quinta-feira o projeto aprovado na noite de ontem na Câmara e que previa a redução de três tributos sobre o diesel. Ao invés de ficar em Brasília, Eunicio retornou ainda ontem ao seu Estado, Ceará.

A Câmara fez a parte dela, votou e aprovou nosso projeto. Mas temos um presidente do Senado que acha que é o maior brasileiro do mundo, pegou o avião dele e voltou pra casa. Deixou a gente na mão. Por causa disso, defendo a continuação da paralisação”, afirmou o presidente da ABCAM, José da Fonseca.

Mesmo Eunício Oliveira retornando para Brasília dificilmente haverá um retorno prático. A maioria dos senadores já não está mais em Brasília. A possibilidade de haver quórum para a abertura de sessão é mínima.

LEIA TAMBÉM >> Após reunião caminhoneiros estão dividos a suspender a manifestação

Deixe uma resposta