Movimentos sociais e de trabalhadores reagem: ‘não aceitaremos que Lula seja preso’

Brasil

O coordenador do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stedile, afirmou que os movimentos sociais não irão aceitar “de forma nenhuma” uma eventual prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “E aqui vai o recado para a dona Polícia Federal e para a Justiça: não pensem que vocês mandam no país. Nós, dos movimentos populares, não aceitaremos de forma nenhuma que o nosso companheiro Lula seja preso”, disse Stedile.

“O Poder Judiciário nos deu uma prova de que eles são burgueses. Eles foram didáticos de nos explicar como o Poder Judiciário neste país é antidemocrático e tem lado”, afirmou em referência ao resultado do julgamento de Lula pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) que condenou Lula a 12,1 anos de prisão.

Declaração foi feita durante a reunião da direção nacional do PT que decidiu reafirmar a candidatura de Lula à Presidência da República, realizada nesta quinta-feira (25), na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em São Paulo. O Presidente da CUT, Wagner Freitas, disse que os movimentos sociais e de trabalhadores irão “enfrentar [a decisão judicial] nas ruas e desautorizar o TRF-4”. Freitas disse, ainda, que no dia 19 de fevereiro será deflagrada “a maior greve geral da nossa história” caso os deputados “ousarem votar a reforma da Previdência”.

Deixe uma resposta