Michelle Bolsonaro desafia velha mídia a provar relação extraconjugal

Brasil

A primeira-dama Michelle Bolsonaro desafiou a velha mídia a provar boatas de um suposto caso extraconjugal com o ex-ministro Osmar Terra. Segundo a Folha de S. Paulo, a mulher do presidente Jair Bolsonaro avisou que irá processar quem divulgou que ela era infiel.

A primeira-dama contratou advogado paulista Daniel Bialski e deve entrar com ação pedindo indenização por disseminação de fake news pela revista IstoÉ. Ela apresentará uma queixa-crime contra o jornalista Germano Oliveira, diretor de redação da publicação.

O defensor disse que ela ainda solicitará a abertura de um inquérito para “descobrir quem ajudou a propagar ofensas à honra, à dignidade e ao bom nome de Michelle Bolsonaro”.

De acordo com o advogado, a velha mídia e os demais veículos terão a oportunidade de se desculpar com a primeira-dama. “Caso contrário, serão processadas”, afirma Bialski. “Ela é uma mulher religiosa e correta. Está indignada [com as insinuações de que tinha um relacionamento com o ex-ministro Osmar Terra].”

O jornalista Germano Oliveira, diretor da IstoÉ, sustenta que em momento algum escreveu que Michelle Bolsonaro tinha uma relação extraconjugal e diz que não pode se responsabilizar por comentários feitos na internet a partir de seu texto.

A nota da IstoÉ deu asas à imaginação nas redes sociais foi a seguinte:

“Michelle Bolsonaro, de 37 anos, demonstra certo desconforto no casamento. Foi sozinha à festa de casamento da deputada Carla Zambelli, na sexta-feira, 14. Na véspera de Natal, resolveu fazer uma cirurgia nos seios, e o marido viajou para a praia na Bahia. Nos últimos meses, viajava sozinha pelo país com o ministro Osmar Terra, que acaba de cair. Agora, Bolsonaro resolveu vigiá-la de perto e instalou-a na Biblioteca do Planalto”.

Além da IstoÉ, o Estadão também sugeriu nas vésperas do Carnaval que Bolsonaro e a primeira-dama já não dividiam a mesma escova de dentes e que a “folia oficial” não teria a presença de Michele Bolsonaro, pois o presidente da República iria passar o Carnaval no Guarujá, no litoral de São Paulo, sem a mulher.

“Mais uma vez, a mulher do presidente, Michelle Bolsonaro, não embarcou junto e ficou em Brasília”, relatou o jornalão paulistano, lembrando que ela já havia ficado na capital federal no fim do ano, quando o marido foi passar o réveillon na Bahia, e também não o acompanhou na cidade litorânea no fim de semana dos dias 11 e 12 de janeiro.

Por outro lado, a repórter Patrícia Campos Mello, da Folha, anunciou que processou o presidente Jair Bolsonaro. Ela quer indenização por danos morais em virtude do ataque que sofreu com ofensa de cunho sexual e a reprodução do insulto em rede social dele.

“Ela [Patrícia] queria um furo. Ela queria dar o furo [risos dele e dos demais]”, disse o presidente, em entrevista diante de um grupo de simpatizantes em frente ao Palácio da Alvorada. Após uma pausa durante os risos, Bolsonaro concluiu: “A qualquer preço contra mim”, disparou, ao invocar a fala de Hans e ofender a jornalista com insinuação sexual.

O presidente Jair Bolsonaro repetiu agressões de Hans River do Rio Nascimento, em depoimento na CPMI das Fake News, de que a repórter da Folha queria informações sobre o disparo de fake news na campanha de 2018 em troca de sexo.

Na prática, os Bolsonaro tentam igualar as agressões sofridas por Michelle e Patrícia –ambos de conotação sexual. A velha mídia jura que tem bala na agulha. A conferir.Compartilhe agora!

Deixe uma resposta