Greve dos caminhoneiros: 556 pontos continuam interditados

Brasil Econômia

A #greve dos caminhoneiros chega ao oitavo dia nesta segunda-feira, dia 28, apesar de o presidente #Michel Temer ter anunciado a adoção de cinco medidas importantes na noite de domingo. Dentre elas estão o aumento no desconto por litro de diesel (de 41 centavos para 46 centavos) e o congelamento do valor por 60 dias.

Apesar das medidas anunciadas pelo presidente Michel Temer para atender demandas dos caminhoneiros, a categoria segue mobilizada. Nesta segunda-feira, foram registrados 556 pontos de caminhoneiros parados no país, com bloqueios em rodovias de 14 Estados e do Distrito Federal. Em São Paulo, o rodízio foi suspenso novamente, e as vans escolares realizam protestos em alguns pontos da capital paulista De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, em sua maioria são bloqueios parciais e sem prejuízo à livre circulação de outros veículos não participantes das manifestações. O número, no entanto, é maior que o divulgado na última sexta-feira, quando 519 pontos estavam interditados.

LEIA TAMBÉM >> Preço do diesel não caiu na bomba após anúncio de redução por Temer

As consequências da greve vão desde hospitais com falta de medicamentos; transplantes de órgãos não realizados; supermercados desabastecidos; postos de combustíveis sem etanol, gasolina e diesel; voos cancelados; entre outros.

Deixe uma resposta