Dia do Basta’: Centrais e frentes populares protestam contra o desemprego

Brasil
A CUT- RS e centrais sindicais definiram as paralisações e mobilizações que serão realizadas em Porto Alegre no “Dia do Basta”, em 10 de agosto. Será o dia de se mobilizar em defesa do emprego, da aposentadoria e dos direitos trabalhistas, por justiça e contra retrocessos. As atividades contam com o apoio das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, formadas por centenas de movimentos sociais, centrais sindicais e partidos políticos.

“Vamos dizer um basta de desemprego, basta de retirada de direitos da classe trabalhadora, basta de aumento do preço do gás de cozinha e dos combustíveis, basta de privatização e desmonte do serviço público, basta de perseguição ao ex-presidente Lula”, afirma o presidente em exercício da CUT-RS, Marizar de Melo.

Haverá paralisações nas empresas e manifestações no centro da capital gaúcha para chamar a atenção da sociedade contra as reformas perversas do governo Temer (MDB), que pioraram a vida das pessoas.

Também estão organizadas atividades em várias cidades do interior do Estado, como em Santa Maria, Novo Hamburgo, São Lourenço do Sul, Passo Fundo, Guaíba, Sapiranga e São Leopoldo, dentre outras.

Nos próximos dias, as entidades filiadas à CUT distribuirão milhares de panfletos chamando os trabalhadores e as trabalhadoras a participarem do Dia do Basta.

Clique aqui para ler o panfleto!

Defesa dos direitos e da democracia

Em Porto Alegre, a concentração terá início às 8h30, em frente à sede da Fecomércio (Avenida Alberto Bins, 665). “Trata-se de uma das federações empresariais, que apoiou o golpe que derrubou a presidenta Dilma Rousseff para aprovar a chamada ‘reforma’ trabalhista, que precarizou o trabalho, e a lei do teto dos gastos, que congelou o orçamento público para a saúde e a educação por 20 anos”, explica o secretário-geral adjunto da CUT-RS, Amarildo Cenci.

Depois, os manifestantes sairão em caminhada até a Praça da Matriz, onde será realizado, às 10h, um ato em frente ao Palácio Piratini. “Além do arrocho, atraso e parcelamento de salários, o governo Sartori (MDB) extinguiu fundações, fechou escolas, fez venda suspeita de ações do Banrisul, quer privatizar estatais e desmontar o serviço público, prejudicando quem mais precisa do estado”, destaca Marizar.

Na sequência, os manifestantes seguirão até o Foro Trabalhista de Porto Alegre (Avenida Praia de Belas, 1432). Lá, eles participarão, às 11h, do ato promovido pelo Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-RS) em defesa da Justiça do Trabalho e dos direitos sociais.

“O Dia do Basta será fundamental para colocar nas ruas a pauta de reivindicações dos trabalhadores e trabalhadoras em defesa de seus direitos e da liberdade do ex-presidente Lula, mantido preso político desde 7 de abril, na sede da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba”, salienta Amarildo. “Queremos Lula livre.”

Deixe uma resposta