Decreto das armas de Bolsonaro pode levar a cancelamento de voos para o Brasil

Brasil Econômia

O decreto do presidente Jair Bolsonaro que afrouxa as regras para a posse e o porte de armas pode levar companhias aéreas estrangeiras a cancelarem voos para o Brasil, resultando no aumento do preço das passagens, em função do aumento do risco à segurança dos voos comerciais. O temor de técnicos do governo é que a Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) acabe por rebaixar a nota do Brasil durante uma reunião que será realizada na próxima semana.

Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, a nota atual do Brasil referente a “segurança contra atos de interferência ilícita” é de 97%, sendo de competência da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) a definição das normas de segurança aeroportuária.

Pelo decreto, esta atribuição passa a ser dos Ministérios da Defesa e da Justiça assim que as pastas regulamentarem o decreto, o que inclui o controle de embarque de pessoas armadas, entre outros procedimentos. A flexibilização para que pessoas armadas possam viajar em voos comerciais é feita, principalmente, pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro.

Deixe uma resposta