Bolsonaro promete licença para matar à ruralistas

Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta segunda-feira (29), em uma feira do agronegócio em Ribeirão Preto (SP), que quem matar em defesa de sua propriedade privada não sofrerá nenhuma punição.

“É fazer com que, ao defender a sua propriedade privada ou a sua vida, o cidadão de bem entre no excludente de ilicitude. Ou seja, ele responde, mas não tem punição”, discursou o presidente.

“É a forma que temos para o outro lado [MST], que teima em desrespeitar a lei, tema o cidadão de bem”, acrescentou.

Bolsonaro também disse que negociou com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a votação de um projeto que permitirá aos proprietários rurais a posse de arma de fogo em “todo o perímetro” de suas terras.

Além de incluir os ruralistas no excludente de ilicitude, uma espécie de licença para matar contida no projeto “anticrime” do ministro da Justiça Sérgio Moro, o presidente compara o MST a uma organização terrorista.

Deixe uma resposta