Após México, Peru expulsa embaixador da Coreia do Norte

Mundo

O governo peruano anunciou nesta segunda-feira (12) a expulsão do embaixador da Coreia do Norte do país, seguindo assim o exemplo dado dias antes pelo México, que também considerou a diplomacia norte-coreana “‘persona non grata”.

A decisão se deu “tendo em conta que a Coreia do Norte vem violando reiterada, e flagrantemente as Resoluções do Conselho de Segurança da ONU”, de acordo com comunicado divulgado pela Chancelaria peruana.

“[A Coreia do Norte] ignora os constantes chamados da comunicade internacional para cumprir suas obrigações internacionais, para respeitar o direito internacional e finalizar de maneira irreversível o seu programa nuclear”, continuou a nota.

A decisão é semelhante à adotada pelo governo mexicano, e foi tomada em resposta ao mais recente teste nuclear conduzido por Pyongyang, no último dia 3 de setembro – o sexto da história norte-coreana, e que foi altamente criticado no exterior.

Segundo Lima, o embaixador norte-coreano Kim Hak-chol tem cinco dias para deixar o Peru. Na Cidade do México, o presidente Enrique Peña Nieto foi ainda mais duro com o chanceler norte-coreano Kim Hyong-gil, que teve apenas 72 horas para deixar o país.

As decisões também acontecem um mês após a visita do vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, a vários países latino-americanos. Na ocasião, ele pediu que as nações locais cortassem relações com Pyongyang – movimento que não obteve adesão total, incluindo o Brasil, que se negou a comentar o assunto à época.

Da sua parte, os diplomatas norte-coreanos vêm defendendo a posição do governo de Kim Jong-un no exterior: de que o programa nuclear do país é apenas uma arma de defesa contra as hostilidades dos EUA, mesmo país acusado pelas expulsões diplomáticas. Com informações do Sputnik Brasil.

Deixe uma resposta