ABCAM não assina suspensão de greve dos caminhoneiros

Brasil Econômia

A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (ABCAM), que representa 700 mil de um milhão de caminhoneiros autônomos, não assinou acordo com o governo Michel Temer suspendendo a greve por 15 dias. A organização reafirma a continuidade das manifestações nas rodovias brasileiras.

A ABCAM abandonou a reunião desta quinta (24), na Casa Civil, com posição de manter greve até que o projeto [que reduz o preço do diesel] seja votado pelo Congresso Nacional e sancionado por Temer.

“Não são só os caminhoneiros que estão sendo prejudicados pela alta dos combustíveis. Isso está prejudicando todo mundo, inclusive temos recebido mensagens via redes sociais para continuarmos mantendo o movimento. Há insatisfação da sociedade com o governo”, disse José da Fonseca Lopes, presidente da entidade.

 

Deixe uma resposta