A CUT deve chamar já a greve geral, a hora é agora

Brasil Econômia

Apesar da enorme campanha da imprensa golpista pelo fim da greve dos #caminhoneiros, a mobilização continua, com milhares de governo se opondo às manobras do governo Temer de encenar que atendeu a todas as reivindicações da categoria, quando isso nem de longe reflete a realidade.

Depois de sete dias greve, o #Brasil começou a segunda praticamente paralisado diante da falta de combustível e com a ameaça de ampliação do movimento grevista com a participação dos #petroleiros, motoristas de vans e muitos outros setores.

A greve dos caminhoneiros serve de impulso para a Centra Única dos Trabalhadores (#CUT) chamar, novamente, uma greve geral nacional, dessa vez por tempo indeterminado. Os caminhoneiros entraram em um embate direto com uma política neoliberal ditada pelo imperialismo contra o conjunto dos trabalhadores brasileiros. Eles pedem a redução do preço de todos combustíveis. Praticamente ninguém é contra essa reivindicação no Brasil, com exceção de meias dúzia de especuladores, do imperialismo, da imprensa burguesa e seus jornalistas venais. Só é possível que essa reivindicação seja atendida de fato com uma derrota do golpe.

A paralisação dos caminhoneiros coloca o governo golpista em xeque. Por um lado, o governo a serviço da Shell e da Chevron não pode ceder às reivindicações dos caminhoneiros. Isso descontentaria aos gringos que impulsionaram o golpe que derrubou o PT. Por outro lado, a direita não está conseguindo combater os caminhoneiros frontalmente.  Essa situação expõe a fragilidade do governo golpista e ilegítimo, um governo sem apoio e incapaz de agir diante da crise que se colocou.

LEIA TAMBÉM >> Greve dos caminhoneiros chega ao 8º dia mesmo após anúncio de Temer

Diante dessa fragilidade dos golpistas, que usurparam o governo para agir contra os trabalhadores e todo o povo brasileiro, é preciso aproveitar a oportunidade e impedir que o golpe continue atuando contra a classe trabalhadora. É preciso aproveitar a oportunidade para derrotar o golpe e o neoliberalismo. Para isso, é preciso generalizar a greve. Muitos setores já estão parados por falta de condições para continuar trabalhando.

É uma situação propícia para levar adiante uma greve que englobe todos os setores organizados e convocar os trabalhadores e a juventude a saírem às ruas em todo o País.

Começando pelos petroleiros, passando pelo transporte público e chegando até às fábricas. Os trabalhadores têm uma chance de impor uma dura derrota à direita e liquidar de uma vez por todas o governo golpista.

Para isso é preciso que a maior organização de luta dos trabalhadores brasileiros, a CUT, convoque seus milhares de sindicatos a mobilizarem e decrete a greve geral.

Além de apoiar a pauta de reivindicações dos caminhoneiros e petroleiros é preciso destacar a necessária luta pela nacionalização do petróleo (a riqueza do petróleo do Brasil para o povo brasileiro), a reestatização da Petrobrás (100% estatal, sob o controle dos trabalhadores) e a o fim do regime golpista para tirar o País do caos, e realização de eleições livres e democráticas.

Deixe uma resposta